Available in

MANICA, Mozambique - Teresa Gala, 44, has five children and has been married for 30 years. Today she is an active member of the Tambara Women's Association (ASMTA) in Manica province and runs her own business. But it wasn't always like this.

Ms. Gala got married at 14 and left school because of her new circumstances. At that time, there was almost no debate about child marriage in the country. For more than three decades, her days were filled with domestic chores and taking care of her children. During the agricultural season, Ms. Gala added to her daily routine by working on her family farm. However, her thoughts always remained focused on having her own business, one that would give her financial independence.

In Mozambique, more than 20 per cent of girls aged between 13 and 17 have been married or live with someone as if they were married (INVIC 2019). Since 2019, the Spotlight Initiative has been supporting the approval and implementation of six laws that protect women and girls from gender-based violence and harmful practices, such as early unions.

"My business makes me feel more respected at home. Today I am a financially stable woman, with savings, who contributes to household expenses and the education of my children", Ms. Teresa Gala, member of the Tambara Women's Association

"Since I didn't study and didn't have my livelihood, for a long time, for anything I needed, I always had to ask my husband for money. And being aware that he didn't earn much, sometimes I asked almost nothing, but I still heard "no" many times. It was very humiliating," says Ms. Gala.

In 2021, everything changed. Ms. Gala joined ASMTA through the Gender Links Association, one of Spotlight Initiative's partner civil society organizations which has been developing income-generating activities for women's economic empowerment.

These associations and women's groups create support networks where women can learn and grow together economically, and create trusting relationships and safe spaces to address issues related to gender-based violence and women’s rights. In Mozambique, over the past year, the Spotlight Initiative supported more than 9,000 women by encouraging the creation of women's associations, facilitating financial management and savings training, and providing business start-up kits. Ms. Gala was one of them.

 

Teresa Gala (left) during an activity promoted by the women's association ASMTA. Photo: UN Women/Joaquim Mendonça

Supporting income generation through vocational training and equipment supply

In the training she attended, Ms. Gala had access to a "business kit" which included the initial funds for her to start a business selling yogurt made from Malambe (baobab tree fruit) and Maheu (a fermented corn drink). With a strategic approach, and to make her business more profitable, she invested the first profits in purchasing a freezer. In the Tambara district, where Ms. Gala lives, temperatures easily reach over 40ºC, and with her freezer, she began to freeze the Maheu and Malembe yogurts, turning them into a new product: ice cream. The number of customers increased considerably.

By accessing economic opportunities and learning to run small businesses, women are building livelihoods that support their long-term recovery from violence, often overcoming financial dependence on their partners. In many cases, this frees them from the risk of violence associated with economic vulnerability and gender inequality.

"Today, I feel empowered. I no longer have to wait for my husband to meet my financial needs," shares Ms. Gala.


With the support of the Spotlight Initiative, Teresa Gala, 44, started her own business and today no longer depends on her husband for financial support. Photo: UN Women/Joaquim Mendonça

The business is going well, and Ms. Gala has already bought a cell phone. The phone has not only made it easier to communicate with clients and social contacts but also helped her gain financial banking by joining the national mobile financial system. With proceeds from her micro-enterprise, she now contributes to the household expenses and pays the university fees for one of her daughters who is studying for a health degree. Empowering women economically helps to ensure girls' access to school and increases the likelihood of them completing their education cycle.

"My business makes me feel more respected at home. Today I am a financially stable woman, with savings, who contributes to household expenses and the education of my children", Ms. Gala says.

Women's economic empowerment is essential to achieve gender equality and address the structural barriers restricting women's socioeconomic opportunities. Empowered and financially independent, Ms. Gala feels happy and is in a balanced relationship with her husband, which has improved the well-being of her entire family.

The Spotlight Initiative is a global initiative of the United Nations which has received generous support from the European Union. Its aim is to eliminate all forms of violence against women and girls. In Mozambique, the Spotlight Initiative is led by the Ministry of Gender, Children and Social Action (MGCAS) in partnership with the United Nations and civil society organizations (CSOs).

 

By Joaquim Mendonça

Language: 
Portuguese, International
Title: 
"Hoje sou uma mulher financeiramente estável" - como os kits para a criação de negócios estão a mudar vidas em Moçambique
Body: 

MANICA, Moçambique - Teresa Gala, de 44 anos, tem 5 filhos e é casada há 30 anos. Hoje, ela é membro activo da Associação das Mulheres de Tambara (ASMTA), na Província de Manica, e gere o seu próprio negócio. Mas nem sempre foi assim.

A Sra. Teresa casou aos 14 anos e deixou a escola por causa das novas circunstâncias. Nessa altura, o debate sobre uniões prematuras era quase inexistente. Por cerca de 30 anos, os seus dias foram preenchidos pelas tarefas domésticas e a cuidar dos seus filhos. Na época de cultivo, a Sra. Teresa acrescentava às suas actividades diárias as idas à machamba da família. No entanto, o seu pensamento ficava sempre no mesmo sítio e na mesma vontade: o de ter o seu próprio negócio e ser financeiramente independente.

Em Moçambique, mais de 20% das meninas entre os 13 e os 17 anos são casadas ou vivem maritalmente (INVIC 2019). Desde 2019, a Iniciativa Spotlight tem vindo a apoiar a aprovação e implementação de seis leis que protegem as mulheres e raparigas de Violência Baseada no Género e diferentes práticas nocivas, tais como as uniões prematuras.

“O meu negócio faz-me sentir mais respeitada em casa. Hoje sou uma mulher financeiramente estável, que contribui para as despesas domésticas e para a educação dos meus filhos”, Teresa Gala, membro da Associação das Mulheres de Tambara

“Como não acabei os estudos e não tinha o meu sustento, durante muito tempo, para qualquer coisa que precisasse, tinha que pedir sempre dinheiro ao meu marido. E ciente de que ele não ganhava muito, às vezes pedia mesmo muito pouco, mas ainda assim ouvi ‘não’ por muitas vezes. Era muito humilhante”, conta-nos.

Em 2021, tudo mudou. Através da Associação Gender Links, umas das organizações da sociedade civil parceiras da Iniciativa Spotlight,  que tem vindo a desenvolver actividades geradoras de rendimento para o empoderamento económico das mulheres, a Sra. Teresa juntou-se à ASMTA. Estas associações e grupos de mulheres fazem parte de uma rede de apoio na qual as mulheres podem aprender e crescer juntas economicamente, bem como criar relações de confiança e espaços seguros para abordar questões de Violência Baseada no Género e outras temáticas relacionadas aos seus direitos.

Durante o ano passado, em Moçambique, a Iniciativa Spotlight apoiou mais de 9,000 mulheres e raparigas por meio do incentivo à criação de associações de mulheres; formações em gestão financeira poupança; e na atribuição de kits para o início de negócio. A Sra. Teresa foi uma delas.

Teresa Gala, à esquerda, durante uma actividade promovida pelo associação e mulheres ASMTA. Photo: UN Women/Joaquim Mendonça

Apoio à criação de rendimento através de formação profissional e disponibilização de equipamento

Durante a formação em que participou, a Sra. Teresa teve acesso a um “kit de emprego”, no qual estava incluído o valor inicial para o arranque do seu negócio de produção de iogurtes de malambe (fruta do embondeiro) e maheu (uma bebida local à base de milho fermentado). Com uma visão estratégica para o seu negócio, e de forma a rentabilizá-lo, a Sra. Teresa reinvestiu os primeiros lucros na compra de um congelador. No distrito de Tambara, onde reside, as temperaturas atingem facilmente mais de 40ºC, e com o seu novo electrodoméstico ela começou a congelar os iogurtes de maheu e malambe, tornando-os num novo produto: sorvete. O número de clientes aumentou consideravelmente.

Ao aceder a oportunidades económicas e ao aprender a gerir pequenos negócios, estas mulheres estão a encontrar alternativas e meios de subsistência que apoiam a sua recuperação a longo-prazo, superando, em alguns casos, a dependência financeira que têm dos seus companheiros, e libertando-se do risco de violência, muitas vezes associada à vulnerabilidade económica e desigualdade de género.

“Sinto-me mais empoderada, já não tenho que esperar pelo meu marido para satisfazer as minhas necessidades financeiras”, partilha.

Com o apoio da Iniciativa Spotlight, Teresa Gala, de 44 anos, começou o seu próprio negócio e hoje  não depende financeiramente do seu marido. Photo: UN Women/Joaquim Mendonça

O negócio está a correr bem, e a Sra. Teresa já comprou um telemóvel. O aparelho não só facilitou a comunicação com clientes, como também a ajudou a entrar no sistema bancário, ao aderir ao sistema financeiro móvel nacional. Com as receitas da sua microempresa, a Sra. Teresa contribui ainda para as despesas da casa e no pagamento das propinas de um curso na área da Saúde para uma das suas  filhas. Empoderar economicamente as mulheres promove o acesso das raparigas à escola e aumenta a probabilidade de estas completarem o seu ciclo educativo.

“O meu negócio faz-me sentir mais respeitada em casa. Hoje sou uma mulher financeiramente estável, com poupanças, que contribui para as despesas domésticas e para a educação dos meus filhos”, conta.

O empoderamento económico das mulheres é essencial para alcançar a igualdade de género e enfrentar as barreiras estruturais que restringem as oportunidades socioeconómicas das mulheres. Empoderada e financeiramente independente, a Sra. Teresa sente-se feliz e numa relação de maior igualdade com o seu marido, o que levou ao aumento do bem-estar de toda a sua família.

A Inciativa Spotlight é uma iniciativa global das Nações Unidas que tem recebido o apoio generoso da União Europeia. O seu objectivo é o de eliminar todas as formas de violência contra as mulheres e raparigas. Em Moçambique, a Iniciativa Spotlight é liderada pelo Ministério do Género, Criança e Acção Social (MGCAS) em parceria com as Nações Unidas e organizações da sociedade civil (OSC).

Por Joaquim Mendonça

Image caption: 

Ao aceder a oportunidades económicas e aprender a gerir pequenos negócios, as mulheres em Moçambique estão a encontrar alternativas e meios de subsistência que apoiam a sua recuperação a longo-prazo, superando, em alguns casos, a dependência financeira que têm dos seus companheiros. Foto: UNICEF/Lara Longle